Se você é um desenvolvedor Salesforce, posso afirmar que você já sofreu com a cobertura de 75% dos testes unitários exigidas pelo Salesforce, não é mesmo?

O Apex nos fornece uma estrutura de teste que nos permite escrever testes unitários, executar os testes, verificar resultados dos testes unitários e também ver o resultados de cobertura de código.

 

Entendendo os Testes Unitários

Testes são sem dúvidas a chave para o sucesso da sua aplicação. Os testes unitários nos permite validar que tudo funciona como esperado, evitando assim comportamentos inesperados, recomento fortemente que você use um processo de desenvolvimento orientado a testes, ou seja, faça o desenvolvimento dos seus testes unitários ao mesmo tempo que realiza o desenvolvimento dos seus códigos, evitando ao máximo deixar tudo para última hora.

Existem duas maneiras de realizar um teste na sua aplicação. Uma delas é através da interface do usuário do Salesforce, que sem dúvida é muito importante, mas apenas o teste através da interface do usuário não irá capturar todos os casos de uso do seu sistema. O outro caminho é testar a funcionalidade de forma automatizada, ou seja, escrever um código de testes que passe por todo o código que você escreveu, ou ao menos boa parte dele, acredite, você vai comemorar sempre que conseguir atingir 100% de cobertura nos seus testes unitários, rs.

Podemos dizer que um sistema raramente está concluído. Você terá versões adicionais, e muita, mas muitas melhorias e novas funcionalidade. Se você escreveu os testes unitários para todas as classes e triggers que criou até entregar a primeira versão do seu sistema, então você poderá garantir que nenhum novo problema surgirá, ao realizar a inclusão de uma nova funcionalidade, afinal você não vai querer ouvir do seu cliente ou chefe, “mas isso estava funcionando antes! Depois que você mexeu parou de funcionar!”.

Antes que você possa implantar seu código em produção ou criar um pacote para distribuir o seu aplicativo na AppExchange, tenha em mente que:

  • Pelo menos 75% do seu código Apex deve ser coberto por testes unitários, e todos esses testes devem ser concluídos com sucesso.

    Observe o seguinte.

    • Ao implantar o Apex para uma organização de produção, cada teste de unidade no namespace da sua organização é executado por padrão.
    • Chamadas para System.debug Não contam como parte da cobertura do código Apex.
    • Os métodos de teste e as classes de teste não são contados como parte da cobertura do código Apex.
    • Pelo menos 75% do seu código Apex deve ser coberto por testes, seu foco não deve estar na porcentagem do código coberto. Em vez disso, você deve certificar-se de que cada caso de uso do seu sistema esteja coberto, incluindo casos positivos e negativos, bem como registros em massa e únicos. Isso deve levar a 75% ou mais do seu código.
  • Todas as triggers devem ter alguma cobertura de teste.
  • Todas as classes e triggers devem ser compilados com sucesso.

O Salesforce executa todos os testes em todas as organizações que possuem código Apex para verificar se nenhum comportamento foi alterado antes de realizar qualquer atualização na Plataforma.

 

Mas afinal, o que Testar?

O Salesforce recomenda que você escreva testes para:

Ação única

Teste para verificar se um único registro produz o resultado esperado.

Ações em massa (Bulk)

Qualquer código Apex, seja uma trigger, uma classe ou uma extensão, pode ser invocado de 1 a 200 registros. Você deve testar não só o caso de registro único, mas também os casos em massa.

Comportamento positivo

Teste para verificar se o comportamento esperado ocorre através de todas as permutações esperadas, ou seja, que o usuário completou tudo corretamente e não ultrapassou os limites da plataforma, você pode encontrar a tabela completa com os limites do Apex aqui.

Comportamento negativo

A plataforma Salesforce impõe alguns limites, você deve garantir que os seus testes não vão ultrapassar esses limites, por exemplo uma única chamada APEX não pode realizar mais do que 100 consultas SOQL. Você deve testar o caso negativo e verificar se as mensagens de erro são produzidas corretamente, bem como para os casos positivos, dentro dos limites.

Usuário restrito

Teste se um usuário com acesso restrito aos sObjects usados ​​em seu código vê o comportamento esperado. Ou seja, se eles podem executar o código ou receber mensagens de erro.

Os operadores condicionais e ternários não são considerados executados, a menos que os ramos positivo e negativo sejam executados.

 

Melhoras Praticas

  • Se o código usa lógica condicional (incluindo operadores ternários), você deve execute cada ramo.
  • Faça chamadas para métodos que utilizem entradas válidas e inválidas.
  • Complete com sucesso sem lançar exceções, a menos que esses erros sejam esperados e capturados em um try… catch.
  • Manuseie sempre todas as exceções que são capturadas, em vez de apenas capturar as exceções.
  • Evite ao máximo utilizar nos seus códigos:
  • Use os métodos  System.assert para provar que o resultado do seu código se comporta adequadamente.
  • Use o runAs como método para testar seu aplicativo em diferentes contextos de usuário.
  • Nos testes de trigger em massa – use pelo menos 20 registros em seus testes.
  • Use o ORDER BY para garantir que os registros sejam retornados na ordem esperada.
  • Nunca considere que as IDs de registro estão em ordem seqüencial.
  • Evite ao máximo a execução de testes utilizando a anotação:

  • As IDs de registro não são criadas em ordem crescente, a menos que você insira vários registros com a mesma solicitação. Por exemplo, se você criar uma conta A e receber a ID001D000000IEEmT, então crie a conta B, a ID da conta B pode ou não ser seqüencialmente maior.

  • Configurar dados de teste:
    • Crie os dados necessários nas classes de teste, portanto, os testes não precisam confiar em dados em uma determinada organização.
    • Crie todos os dados de teste antes de chamar o método  Test.startTest.
    • Você não precisará excluir nenhum dado criado no seus testes, o Apex se encarrega de fazer isso sozinho, a menos que seja um teste de remoção de registro.
  • Teste as classes em sua aplicação individualmente. Nunca teste sua aplicação inteira em um único teste.

 

No post de hoje, vimos um pouco das considerações do Salesforce sobre testes, e porque devemos realizar eles, no próximo post, vou trazer exemplos práticos de testes unitários, mas, se não quer esperar até lá, da uma olhada no post que falo sobre como criar um Mock para as chamadas Http nos seus testes unitários.

Sugiro ainda, que você de uma olhada no Trailhead, existe um módulo especifico para Testes Apex, se você ainda não sabe o que é Trailhead, então de uma olhada no post que falo um pouco mais sobre o Trailhead.

 

Um forte abraço e até o próximo post :)

Fernando Sousa

Fernando Sousa

Salesforce Developer at Resource It Solution

Formado em Bacharelado em Sistemas da Informação pela Universidade de Taubaté (UNITAU) e MBA em Projeto de Aplicações para Dispositivos Móveis pelo IGTI – Instituto de Gestão em Tecnologia da Informação.

Comecei a programar bem cedo, por volta de 10 anos de idade, de maneira auto-didata aprendi qBasic, FoxPro, Clipper e PHP, já na faculdade, conheci o Pascal (Delphi), e um amigo me ensinou C#.NET, linguagem que atuei por mais de 6 anos.

Depois resolvi mudar um pouco, e passei 2 anos mergulhado de cabeça na parte de Desenvolvimento Mobile integrado ao Salesforce.

Hoje atuo como Desenvolvedor Salesforce, recentemente conquistei a minha primeira certificação Salesforce, Salesforce Certified Platform Developer I.

E no final do ano passado, consegui o título de Ranger no Trailhead, conquistando mais de 100 emblemas e 50.000 pontos, e algumas superbadges. Acompanhe meu Trailhead aqui.

Pin It on Pinterest

Shares